Ir para conteúdo


Foto

Como você deve, ou pelo menos deveria, perder


  • Por favor, faça o login para responder
Não há respostas para este tópico

#1 Asura

Asura

     

  • Administrador
  • 1.169 posts
  • PateontologicoXX
  • usagiqn
  • CFN ID:-Asura-

Postado 27 outubro 2017 - 17:37

counterhit-1509136561.jpg

 

 

Excelentíssimo texto do Sarda que foi originalmente postado no finado Portal Versus, boa leitura!

 

 

 

Como você deve, ou pelo menos deveria, perder, por Guilherme Sarda

Esse texto é nada mais do que uma releitura de alguns pontos apresentados no Playing to Win do autor David Sirlin. Toda e qualquer inspiração desse texto se deve ao meu desenvolvimento em jogos de luta e a trabalhos de intelectuais que produzem textos nessa área. Se você joga Street Fighter para passar tempo com seu priminho, faça a você mesmo um favor e vá fazer qualquer outra coisa do que ler esse texto. Essa é a minha visão de como eu encaro o jogo e a evolução de competidores nesses jogos e, se eu preciso dar qualquer tipo de garantia para você, eu dou a minha palavra, que não é nada. Mas talvez valha alguma coisa pelo menos para meu cachorro.

Jogos de luta: Tão simples que podem ser odiados por jogadores acostumados a jogos de aventura para um jogador, ou tão complexos que podem se tornar o único jogo que você realmente joga na sua vida mesmo tendo múltiplos sistemas dentro da sua casa, as horas podem chegar a ser muitas (Só em Street Fighter 4 já somam-se 600 horas em um dos meus sistemas). Muito já foi escrito sobre os jogos de luta e esse texto é só mais uma tentativa. E vou falar sobre algo que entendo e entendo muito bem: Perder. E sobre como você deve encarar a derrota, ou pelo menos tentar antes de esmurrar o controle.

Para começarmos, quero simplificar: enxergo os jogos de luta como um triângulo de três habilidades listadas a seguir:
 

 

counterhit-1509132788.png

 

 

Nota: A figura acima foi recriada e reimaginada por mim, Asura, já que a original não está mais disponível.

- Execução: É o quão bom do negócio você realmente é. O que você consegue fazer com as suas mãos quando soca elas no manche. Isso pode auxiliar você em outras coisas na sua vida indiretamente (como cozinhar ou agradar a vizinhança feminina), mas não se engane, é muito provável que você só leve o talento dos hadoukens para o caixão pelo tempo que você dedicar a isso. A execução não é dom tampouco talento. Se você vê e se maravilha com qualquer jogador americano ou japonês, não crie desculpas para a sua consciência por não conseguir executar aquilo. O segredo é TEMPO. Tempo, tempo, tempo e tempo (acostume-se já com minhas repetições para ênfase). Execução é 99,9% de Transpiração e 0,01% de Interferência, que explicarei mais adiante. Você pode contra-argumentar que seu amigo que começou a jogar a MUITO menos tempo que você executa milhões de vezes melhor que você em menos tempo. Faça um favor ao seu cérebro e a inteligência de todos nós e não se esqueça disso: Ao sentar para jogar Street Fighter você traz consigo todo o repertório passado da sua vida (E isso não é só em Street Fighter, é assim em qualquer outra coisa). E esse repertório conta e muito. Você teve hobbies? Praticou esportes ? Toca algum instrumento musical? É desenhista? Foi pedreiro? É conhecido como 'dedos mágicos' pelas amigas de colegial? Todo esse tipo de passado conta e influencia na sua execução, mas, no fim das contas, tudo isso é resumido em uma coisa: Tempo. Em jogos de luta em específico pode ser tempo no Training Mode ou tentando combar no meio da partida mesmo. Indiretamente são todas as coisas que você desenvolveu no passado.

- Estratégia: Conhecimento, conhecimento e conhecimento. Não se engane: Se você cursa 2, 3 ou 4 faculdades, fala 5 idiomas, inclusive grego, aprecia arte contemporânea e continua perdendo para o mendigo do boteco da esquina, está na hora de você ter algumas aulas de epistemologia e teoria cognitiva. O conhecimento é adquirido de muitas maneiras e não só com a bunda sentada lendo o Portal Versus, a Tekken Zaibatsu ou qualquer outro site. Ler cinco páginas vai te ajudar, mas, acredite, não vão substituir aquelas 50 partidas em que você levou uma sova do mendigão. Ele tem muito a te ensinar. Ele provavelmente não sabe nada sobre frames, nem sabe te explicar o que ele está fazendo, não consegue verbalizar o que aprendeu. Mas ele sabe muito mais do que você e dá um show de balé na tela, e isso te fascina. Ao invés de perguntar, quando ele não sabe responder, observe-o jogando e analise sua tela de jogo. Mas é claro, se você trombar com uma enciclopédia ambulante de conhecimento de frame data como o Daeyrat*, gaste sua saliva perguntando, porque ele vai verbalizar tudo pra você, e isso é ouro. Na estratégia entra tudo aquilo que concerne os matchups do jogo, como se portar de acordo com suas barras de life ou super, como analisar o padrão de jogo do oponente, como utilizar meios psicológicos externos e internos ao jogo e por aí vai. Em resumo, é tudo ligado ao comportamento que vem antes de ser executado.

*Daeyrat é um jogador de Street Fighter 4 com um alto conhecimento dos guias de frame e mecânica do jogo.

- Adaptação: Uma mescla de uma série de habilidades que outros teóricos dos jogos criaram para múltiplas categorias. Agrupo toda uma área meio cinza e incerta dos jogos de luta em uma só: A adaptação. Vou dar um exemplo prático e rápido: Daigo, quando viajou para os Estados Unidos pelas primeiras vezes para jogar Street Fighter 4, deparou-se com um problema: enfrentar personagens inexistentes na versão que ele jogava*. Ao assistir algumas partidas iniciais, você vê que ele é destruído pelos novos personagens. Sim, destruído. Por um, dois, três, quatro rounds. Acabou aí. Subitamente ele cataloga mentalmente toda a sova e padrão de ataque do oponente e vira aquilo tudo contra ele de uma maneira graciosa. A execução dele o ajudou a fazer isso? Difícil. A experiência o ajudou? Impossível, são personagens novos, desconhecidos. A estratégia? Tampouco. O que aconteceu foi uma mescla da sua bagagem cultural em relação a jogos de luta, sua astúcia construída através de horas de campeonatos e treino, uma pitada de sorte e belos galões de frieza. Ele adaptou-se. Da mesma maneira que você tem que fazer na vida, os jogos de luta não conhecem honra nem moral, e devemos esse ensinamento a Sirlin (E a Sun Tzu e Maquiavel, talvez, se eles jogassem vídeo-game).

*As versões Arcade e Console do jogo possuem um número diferente de personagens.

Use o que precisar pra vencer, desde que não te desclassifique. Adapte-se ao oponente, ao controle, ao clima, a cidade, aos seus amigos te tirando, aos gritos, a tudo o que você construiu que era necessário para jogar bem. Aprenda a JOGAR BEM e ADAPTAR-SE e não a depender do clima, controle ou se o gabinete estava virado ou não para Meca. Aqui abro uma observação importante: se você quer jogar de maneira dedicada, tenha seu controle. Quando falo em adaptar-se ao controle não é que você deva jogar bem em um volante de corrida. Mas sentado, de pé, de lado, tudo isso conta e você pode acabar tendo que jogar em um ambiente diferente ao que está acostumado. Mas, se você joga de Sanwa, não se obrigue a ser bom em Happs, Seimitsus, Eletromatics ou Volantes. Mas se pegar um sanwa de um amigo, mesmo que seja levemente diferente, treine para conseguir ser camaleão rapidinho.
Levo mais tempo para tratar da adaptação, pois ela é um tanto subjetiva e incorpora um pouco de todos os talentos que você precisa ter nos jogos de luta. É aquele Tchan que você só vai conseguir jogando, jogando e jogando contra oponentes reais e variados. Eu sei, no Brasil isso é muito difícil de conseguir, mas esforce-se. Eu já investi dinheiro a ponto de comprar e dar controles para terceiros para que eles aprendessem e apaixonassem-se pelo jogo. É óbvio que aqueles que não deram bola eu peguei o controle de volta. Mas a cada 20, 30 que eu emprestei, nesses últimos cinco anos, acabei conquistando um ou dois. E esses um ou dois me dão um trabalho safado agora e isso me deixa MUITO satisfeito. Melhor um no Street do que dois no CS, não é? (Nota: Não estou desmerecendo outras comunidades nem outros jogos. Só estou falando que é melhor para nós, que queremos competir em jogos de luta, que tenhamos mais oponentes de nível em nosso jogo. Nada impede o cara de treinar 2, 3 ou mais jogos.)

Pois então, vamos lá. Conhecimento na cabeça, stick na mão, jogo no game e pronto pra começar.

Round 1 Fight Perdeu.
Round 2 Fight Perdeu.

Tá, tá, tá, hoje tem online e você já vai jogar a próxima partida logo em seguida. Mas vamos imaginar que estamos em um arcade e que tem jogadores lá. Eu sei, sonhar é preciso. Você vai ter que esperar mais 1, 2, 3, 4 partidas para jogar de novo.** Utilize esse tempo para observar como o seu oponente te venceu e como você perdeu e, caso um dos oponentes dele tenha sucesso, o que ele fez. Inclusive se ele fez uma piadinha entre os rounds que desconcentrou o oponente. Pode ter sido um truque despercebido. Veja bem, não estou recomendando você a fazer os oponentes rirem, mas apenas observe de que ele é suscetível a perder a concentração com esse tipo de coisa e utilize isso dentro do jogo.

Chegou sua vez de novo.

Round 1 Fight Perdeu.
Round 2 Fight Perdeu.

*Teremos essa sensação novamente com Super Sf4 ?

Não vou continuar, espero que você entenda o que eu quero dizer por aqui: Você vai perder, e muito. Mas muito mesmo, mas agora vou chegar aonde eu queria com esse curto ensaio.

Por que você perdeu? Podem ter sido múltiplos os fatores, mas vamos aos mais comuns:

  • 1° Você é muito verde ainda: Os jogos de luta voltaram com tudo e temos muitos jogadores novos. Se você é um novato e começou agora, acostume-se com a derrota. Eu não sei dizer muito bem o porquê, mas o jogador de jogos de luta tem um lance meio de vinho e uísque assim. Parece que quanto mais velho, calejado e exposto ao ambiente propício, mais ele melhora. No começo você vai fazer muitos erros. Todos os tipos de erros. Ainda é meio que impossível até identificar quais são. Não dê bola, seja paciente e divirta-se. O jogo é para isso. Nesse momento a melhor coisa é jogar descompromissadamente, mesmo que sejam 48 horas por dia. Experimente personagens, experimente táticas, erre hadoukens no ar, erre hadoukens no chão, erre hadoukens na água. Tanto faz. Cada acerto é um sucesso e é nada mais que natural que eles aumentem com o tempo. Jogadores mais experientes conseguem identificar esse cheiro de que a fruta tá verde ainda no ar. Eles vão conseguir enxergar seus principais erros como se fosse uma cartilha. Muitos deles já passaram antes por isso e eles já enfrentaram muitas vezes esses erros. Não esquenta. Vai jogando e, com o tempo, você começará a identificar seus erros.

 

  • 2° Estratégia: Lembra um dos talentos básicos? Ele vai aparecer toda hora. Jogos de luta são extremamente complexos: TODOS ELES. Ignore as discussõezinhas online e concentre-se em jogar. Todos os jogos possuem complexidades diferentes e, mesmo que ele seja a coisa mais simples do mundo, o melhor jogador possui um domínio altamente complexo dessa simplicidade toda que acaba ficando elas por elas. Justamente por causa dessa complexidade, você irá aprender todo dia e toda hora. Lembra que até o Daigo tava aprendendo? É assim mesmo. É aqui que muitas vezes o mendigão ganha de você. Ele já tem aquela 'sensação' da hora certa de mandar a magia e da hora certa de retrancar. Quando você perder por estratégia, procure solucionar. Mas antes de solucionar aceite a derrota por estratégia. Pense: 'Porque que eu perdi?' Foram os combos que errei? Será que se eu realmente tivesse acertado teria tudo teria ganhado? Hmm acho que não. Será que me dediquei? Será que agi corretamente e não desesperei muito? Se tudo isso for negativo, você já começa a identificar que você precisa conhecer mais os padrões de oponentes e de personagens existentes.

Trabalhe nisso, as três soluções para o problema são muito longas mas simples: Jogue, jogue e jogue.

Veja outros jogadores e analise-os sempre que possível. Leia, Leia e Leia. Cada uma vai te ajudar de uma maneira: Ao jogar, você internaliza mentalmente e na sua musculatura tudo aquilo que você só vai conquistar lendo e observando. Quando você lê e observa você ABSORVE, quando você põe em prática você INTERNALIZA. Um exemplo prático: Ontem mesmo levei o maior cambal da minha história jogando Street Fighter 4. Foi uns 23 a 1 por aí. E eu já considero que estou em um nível legal até de jogo, ainda perco demais mas nunca tinha perdido tanto. Eu, perdi, mas perdi felicíssimo. Perdi para o jogador AMK de São Paulo utilizando a Cammy. Eu nunca tinha enfrentado a Cammy na minha vida, pelo menos ninguém que soubesse usá-la. Vou me martirizar por isso ? Não, foi uma falta de conhecimento do matchup e a única solução para isso é ler, observar e jogar, e eu nunca tinha feito isso com a Cammy. Como comparar ou me chatear com meu desempenho em um matchup que tenho 30 partidas de experiência contra Sagat ou Ryu que as vezes passamos dos milhares ? E outra, eu sei que não sou o Daigo para ter me adaptado rapidamente. Perdi 14 seguidas e ganhei uma. Foi sorte essa uma ? Um pouco sim. Foi às vezes descuido e tédio do AMK depois de tantas vitórias? Um pouco sim. Foi um pouco do aprendizado das 14 lutas anteriores tomando corpo no meu jogo? Com certeza sim.

  • 3° Execução: Esse aqui é mais simples. Pergunte-se isso: Na maior parte do tempo, o personagem faz, na tela, aquilo eu mando ele fazer aqui no mundo real, com as mãos ? Ele faz isso em um nível que me satisfaz ? Se a resposta for não, vá treinar. Sabe aquele cara que ganha de você sempre de 10 a 0 mas que você conta pra todo mundo que é sempre 10 a 0 mas que sempre fica no último round no último toco do life ? O que é mais fácil: Você gastar semanas treinando conhecimento para superar o conhecimento dele no matchup ou gastar umas horinhas para acertar aquele combo ou outro que teria justamente tirado aquele lifezinho que sobrou ali ? Não se engane, não estou dizendo que esse caso é uma derrota só por execução, não é. Apenas quero deixar claro que dos vários talentos que existem dentro do jogo, às vezes um pode compensar outro. Já viu aquele cara que só faz Rasteira média e soco médio e ganha daquele seu amigo que faz combos de 57 hits ? Ele tem melhor estratégia, melhor posicionamento, melhor adaptação, melhor tudo, menos execução que o oponente. Você acha que seu amigo combeiro vai ter sucesso treinando combo, combo e combo ? Nesse caso é claro que não, o problema é outro. Mas, às vezes, pode ser execução, trabalhe nisso. Se for execução, acredite, é algo bem objetivo e com certeza de solução mais fácil que todos os outros que citamos antes.

 

  • 4° Interferência: Falei que ia falar da bendita. O principal exemplo aqui é o ambiente de torneios. Você VAI ficar nervoso. Essa é a principal interferência. Você vai pensar errado, vai errar, vai jogar errado e tudo o mais. Esse é um dos meus maiores problemas e, é um dos mais difíceis de se resolver. Eu mesmo não tenho a solução. Quem não fica nervoso normalmente fala que isso só vem com o tempo. Não posso fazer nada a não ser acreditar. E esse nervosismo pode ser de todo tipo e vai aparecer, liga não. E a interferência pode ser tudo viu: no jogo online pode ser sua irmã enchendo o saco porque quer ficar na webcam conversando com o namorado, pode ser seu irmão querendo ver vídeo do Curíntia no YouTube, seu cachorro e por aí vai. No offline podem ser seus amigos te dando peteleco, te pressionando, enchendo o saco ou então te provocando. A interferência sempre vai estar por ali. O segredo é concentrar-se e treinar a calma.

 

  • 5° O efeito 'Vídeo Cassete': Lembra quando você locava filmes em fita VHS na locadora do seu bairro ? Se não rebobinasse tomava multa de 1 real, não é mesmo ? Pois é, nos jogos de luta isso também acontece. Se você não rebobinar você leva multa: a derrota. Permita-me explicar. Você finalmente chegou onde queria, você passou a ganhar ou pelo menos chegou perto de ganhar daqueles oponentes que você sempre considerou muito melhores que você. Você treinou, leu, observou, desenvolveu e melhorou. Agora você consegue adivinhar e antecipar as intrincadas opções que o jogo carrega e você consegue dar o contra-ataque no contra-ataque do contra-ataque do seu oponente. Seu cérebro está afiado assim como sua capacidade de adivinhar. Mas aí você perde para aquele cara que você sempre lavou o chão. E semana que vem você perde pra outro que só joga faz 1 mês. No outro dia você perdeu para aquele Ryu que só dá shoryuken. Pois é, é aqui que você tem que rebobinar a fita. Chega uma hora no seu desenvolvimento técnico que só hadouken e shory não ganham mais jogo. Seus oponentes desviam de tudo e te forçam a fazer e trabalhar com jogadas que antes eram impensáveis. Você aumenta o seu repertório de avanço e de entradas no oponente e, justamente quando você vai enfrentar aquele cara que só sabe o arroz com feijão, você perde. Aqui existem duas possibilidades: Uma, o cara é realmente MUITO bom no básico do jogo e destrói oponentes com um controle de tela e estratégias fora do comum. Ou então a segunda opção: Você está sofrendo do já conhecido Efeito Vídeo-Cassete. O efeito vídeo cassete é muito simples: você esquece de rebobinar e paga multa. Oponentes com baixo repertório de jogo apoiam-se em poucas jogadas de ataque e contra-ataque e simplesmente não irão cair em armadilhas avançadas. Vou dar um exemplo: Se o cara não souber que uma voadora é ambígua (ou seja, pode pegar do lado esquerdo ou direito) ele sempre vai defender do mesmo lado. Ele só irá aprender a defender de outro lado depois de você colocar na cabeça dele milhões de combos com voadoras nas costas. E ele ainda vai ter que tomar uns quatrocentos. Só assim você vai poder usar uma voadora na frente pra ele achar que vai pegar atrás. Senão, esquece, você vai engolir shoryuken, especial, super art, mega driver, infinito e tudo o mais que você puder levar. Ou seja, para rebobinar a fita existem dois passos simples: Utilize-se de técnicas de isolamento básicas. Não deixe ele chegar perto, vai batendo de pouquinho que de pixel em pixel você leva a vitória. Ou então faça o seguinte: Utilize somente das primeiras opções do seu repertório. Faça sempre o 1 que funciona: 1, 1, 1, 1. Na hora que ele defender o 1, vai pro 2, 2, 2, 2. É provável que a luta acabe antes que você chegue no 2. Não tente ir lá pras opções 7 ou 8. Fique no básico e de muito dano. Voadora, Soco, Róris funciona desde que eu tenho 8 anos de idade. Se o seu oponente toma, porque não fazer ?

Em resumo, pra quem não quiser ler tudo escrito acima: Quando perder, PENSE, no porque você perdeu. Perca construtivamente.

Enfim pessoal, eu sou muito ansioso e confesso que escrevi esse texto de uma só vez, de uma só sentada. Dei uma revisada básica e gastei um tempinho no illustrator pro diagramazinho simples. Pretendo ampliá-lo e revisá-lo mas, um dos meus maiores defeitos (essa ansiedade toda) me deixa com vontade de compartilhar ele logo com vocês. Agradeço a todos que me ajudaram nesses quase 5 anos jogando jogos de luta, principalmente ao meu primo Tchen que foi um jogador que deu um tempo dos jogos no passado que agora voltou com força total. Ele é um dos caras que me inspiraram, em discussão, a escrever sobre isso. Já traduzi muitos textos mas sempre quis escrever pelo menos uma coisa pequena com minhas próprias palavras e com a minha vivência do nosso cenário brasileiro. Espero que ele ajude alguém.

Por favor, critiquem, dêem sugestões e contribuam.

E, por favor, se te ajudar e quiser me agradecer, nada seria mais gratificante se no próximo campeonato você reparasse que seu amigo está passando pelo efeito vídeo-cassete, que você dê aquele berro: 'Rebobina essa porra filha da puta!' ele entenda o recado e vire a partida !

Nota: Sou um jogador de jogos da CAPCOM e principalmente de Street Fighter. Todas as vezes que eu usar o termo 'Street Fighter' você pode entender como 'jogos de luta' e, se eu falo Hadouken, Shory ou qualquer outro golpe, "traduza" ele para os golpes padrão do seu jogo favorito.

 

Fonte: Portal Versus (arquivo)


  • 2




0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos